Eu Nasci No Pompéia

     Assistir ao nascimento de novas gerações não foi uma das principais funções do Hospital Pompéia quando fundado pelas Damas de Caridade. Porém, ao longo das décadas seguintes, tornou-se uma de suas principais características sem nunca fugir do seu principal propósito: assistir ao mais necessitado.

 

      Nunca houve distinção entre rico e pobre, tanto por funcionários e médicos, como pela diretoria. O mesmo carinho, atenção e solicitude que eram despendidos a uma senhora da alta sociedade, também eram despendidos a pessoas com poucas condições.

 

      Em 1939, as Damas de Caridade abraçaram a maternidade do Hospital Pompéia. Cerca de 40 senhoras da associação contribuíam para a compra de materiais a serem utilizados na fabricação de enxovais destinados às novas mães carentes. Esta constante ajuda fez a maternidade crescer junto com o Hospital e não demorou muito para o Pompéia tornar-se o hospital que mais viu nascer crianças de toda a região.

 

Você sabia?

 

    O hospital, durante boa parte de sua vida, utilizou parteiras para realizarem os partos normais ao invés de médicos. As parteiras também davam as primeiras assistências aos bebês, colocavam a criança no peito da mãe para mamar e, ainda, atendiam a nova mamãe, a domicílio, no dia seguinte.

Imagens

Eu Nasci no Pompéia - corredor do Centro de Diagnóstico

Áudios

Vídeos

Documentos